Contação De Histórias

Publicado em 31/05/2012

Avalie este Artigo
4.3

A hora da história, traz consigo o encantamento dos mundos onde o impossível acontece, onde sonho e realidade se misturam em um mágico faz de conta. 


Para se contar história, principalmente, deve-se conhecer bem tal história, seja aquela que você ouve desde criancinha, ou na divulgação de um livro é necessário o conhecimento, o domínio sobre a ordem fatídica dos acontecimentos.


Um "contador de histórias" não precisa se prender, se forçar a decorar a história palavra por palavra, embora deva sempre manter-se respeito pelo autor e o que ele escreveu, basta que o narrador conheça bem os fatos e acontecimentos e tenha a sensibilidade de entrelaçá-los se que os desfigure, ou seja, mantendo-se o sentido original. Lembrando sempre que o contador de histórias não é um criador. Ele apenas narra contos já contados e por tanto não deve perder "o fio da meada".


Mantenha sempre o domínio de seu espaço, não deixando-se estático frente aos ouvintes. Movimente-se, sem exageros, é claro, pois movimentos e expressões dão maior vivacidade e verdade à história.


Alguns especialistas ditam uma regra que não se mostra muito abrangente. Dizem que as roupas do contador de histórias devem ser discretas, em tons neutros para não roubar atenções. Claro que não se vai contar "Causos de Assombração a Beira do Fogão a Lenha" vestido de palhaço, mas não há mal algum em se vestir de princesa, fada e até de palhaço em uma festa temática levando histórias que também se apoiem no figurino.


De resto, basta a certeza de que seus ansiosos expectadores nem vão se importar com aquela engasgadinha,ou "gaguejada" no meio da apresentação e que você vai, com certeza estar contribuindo para um pedacinho do mundo ser melhor e muito mais feliz.


Avalie este Artigo

Deixe seu comentário

Avalie este Artigo

Comentários

  • disse em 03/10/2017 às 07:10

    5 Artigo muito bem escrito e muito esclarecedor. O contador de histórias não deve mesmo "perder o fio da meada" quando foi narrar, ou melhor dizendo, interpretar uma história já escrita. No entanto, ele poderá criar também sua própria história tendo como base um conto já existente. Até mesmo poderá entrelaçar uma história na outra, desde que haja ligação é claro! Enfim, o contador de história é um artista e como todo artista a criatividade é seu combustível mais potente!


Orçamento Expresso

Solicite Orçamento para 39675 anunciantes com um só pedido

Clique aqui para solicitar
CasamentosFestas InfantisFormaturasEventos Empresariais

Aguarde...