Eventos e coronavírus: como fica esse mercado

Se você pertence ao ramo de eventos e busca se manter sempre atualizado, confira o nosso texto sobre eventos e coronavírus, no qual traçamos um panorama da pandemia e sugerimos algumas soluções para o enfrentamento da crise no setor. Boa leitura!

Publicado em 08/05/2020

Avalie este Artigo
2

Atualmente, enfrentamos o período de pandemia ocasionado pelo novo coronavírus. Apesar de ter sido inicialmente detectado na China, o vírus rapidamente se espalhou por todos os continentes, com exceção da Antártida, causando, até agora, pelo menos 270 mil mortes.

Como primeiras medidas adotadas para a contenção do vírus, as estratégias de distanciamento social e quarentena foram endossadas pelas organizações de saúde e pela grande maioria dos líderes mundiais.

Embora os serviços considerados essenciais continuem funcionando, e certa flexibilização de uma camada do comércio já permitida em algumas localidades, o setor de eventos prossegue aguardando de novas instruções.

Neste artigo, abordaremos a relação entre o setor de eventos e coronavírus, quais os desafios para este setor e soluções criativas para enfrentar essa crise.

 

O setor de eventos e coronavírus

Eventos e coronavírus: como fica esse mercado

Com o alto potencial de contágio do coronavírus, as primeiras estratégias adotadas contra seu avanço incluíram impossibilitar a formação de aglomerações de pessoas.

Desse modo, foi decretado o fechamento de bares, restaurantes, boates, casas de shows, clubes, academias, entre outros. Além disso, eventos, sejam eles governamentais, científicos, religiosos, esportivos ou culturais, foram adiados ou cancelados.

Inicialmente, quanto à realização de eventos, a recomendação do Ministério da Saúde era o cancelamento daqueles que esperavam mais de 500 pessoas. Entretanto, gradualmente, o setor de eventos foi sentindo os efeitos do coronavírus, com o reforço da campanha de distanciamento social.

 

O cenário atual

A principal indicação para quem desejava realizar eventos durante esse período deve ser o adiamento. Baseando-se na amostragem de outros países, estima-se que os meses a partir de outubro apresentam-se como alternativas plausíveis para a remarcação de datas.

Infelizmente, como se trata apenas de uma estimativa, muitos organizadores têm optado por cancelar os eventos agendados.

Como sempre, o foco do setor de eventos deve ser o cliente. E atentar-se às suas necessidades e às possibilidades disponíveis podem resultar em soluções criativas que fortaleçam seu negócio durante a crise da pandemia.

 

Soluções

Na relação entre o setor de eventos e coronavírus, a convocação é a de reinvenção. Pensar estratégias capazes de minimizar os impactos do adiamento ou cancelamento dos eventos deve ser o objetivo de seu negócio para o enfrentamento da crise.

Conhecer seu público é, sem sobra de dúvidas, o primeiro passo para a produção de estratégias para o setor de eventos e coronavírus. Você deve estar atento sobre o comportamento do seu público-alvo, bem como seus desejos e escolhas.

Como você se comunica com seus clientes? São criados laços de confiança? Embora os recursos on-line venham sendo cada vez mais utilizados, sua eficácia deve ser avaliada.

Os clientes, especialmente agora, esperam por respostas resolutivas. Nesse sentido, o conhecimento da clientela permite soluções inventivas que vão de encontro com suas necessidades.

Proponha ao cliente que seu crédito fique em aberto para utilização posterior. Como o andamento do coronavírus no país pode somente ser estimado, o adiamento das datas pode ser considerado incerto.

O Portal Organizando Eventos permite checagem da disponibilidade de serviços como aluguel de brinquedos de festa, aluguel de brinquedos infantis, assessoria, cerimonial, decoração, espaço para eventos e coffee break, de modo que o agendamento possa ser realizado com antecedência.

 

Eventos para poucas pessoas

Eventos e coronavírus: como fica esse mercado

A internet, constante na realidade de milhões de brasileiros, apresenta-se agora como uma das principais formas de manter em contato com outras pessoas.

No caso de eventos para poucas pessoas, como reuniões, cursos, workshops, oficinas, entre outros, diversas ferramentas disponíveis gratuitamente garantem a transmissão e reunião das pessoas conectadas, de modo rápido e simples.

Nesse sentido, a transformação do formato do evento para o espaço virtual se apresenta como uma solução para a organização de eventos e coronavírus.

 

Devolução de ingressos

Eventos e coronavírus: como fica esse mercado

Se o evento cancelado ou adiado envolve a compra de ingressos, atente-se aos seguintes passos:

  • Altere a descrição do evento nas publicações e anúncios, mantendo as informações atualizadas;
  • Explique o motivo do cancelamento do evento; e
  • Oriente os compradores sobre informações para reembolso ou devolução.

 

Mantenha-se aberto à inspiração

Sabemos que períodos de crise são desafiadores. Apresentam-se como instáveis e provocam afetos intensos, como tensão e medo. Entretanto, você pode se manter aberto ao aprendizado e à experimentação nesse período.

Criar soluções para o seu negócio não implica inventar a roda. O resgate de princípios e valores éticos, bem como o aprendizado de outras experiências e fontes de informação, podem ser extremamente úteis para o desenvolvimento da criatividade e resiliência, ajudando-lhe a atravessar a crise.

 

Prognóstico

Pensar a relação entre o setor de eventos e coronavírus envolve, também, questionar-se sobre o cenário futuro do ramo.

Possíveis cenários debatidos incluem a realização de eventos já a partir de outubro, mas em espaços abertos e com poucas pessoas; ou somente em 2021.

Apesar disso, é certo que muitos sofrerão com isso, sobretudo aqueles que comportam a venda de ingressos, com a queda da renda da população e medidas de restrição de público a serem adotadas.

Além disso, questões relacionadas à sustentabilidade também entram em jogo. Os negócios deverão vislumbrar alternativas sustentáveis, incluindo fornecedores e prestadores de serviço alinhados a estes princípios.

A popularidade da realização de eventos on-line tem crescido e se apresenta como horizonte fértil para o setor de eventos. Estima-se que esse formato abrirá uma nova frente de postos de trabalho.

Nesse sentido, a realização de transmissões e videoconferências se destacam por minimizar deslocamentos e reduções de emissões.

 

Conclusão sobre eventos e coronavírus: como fica esse mercado?

Neste artigo, buscamos desenvolver a relação entre o setor de eventos e coronavírus, de modo que os efeitos da pandemia para o ramo sejam minimizados por meio de estratégias criativas, com foco no cliente e em suas necessidades.

As soluções apresentadas são alternativas para o setor de eventos atravessar a crise e se baseiam em exemplos de sucesso.

Vale lembrar que, nesse processo de reinvenção, basta manter-se aberto à inspiração e às possibilidades disponíveis, bem como o aprendizado decorrente de experiências de sucesso. Esperamos que tenham gostado de nosso artigo que falou sobre a relação entre eventos e coronavírus. Não se esqueça de deixar seu comentário.

 


Avalie este Artigo

Deixe seu comentário

Avalie este Artigo

Comentários

  • Seja o primeiro a comentar

Orçamento Expresso

Solicite Orçamento para 39757 anunciantes com um só pedido

Clique aqui para solicitar
CasamentosFestas InfantisFormaturasEventos Empresariais

Aguarde...