Artigo oferecido por:

O Papel Do Artista Na Humanização Do Homem

Publicado em 21/04/2010

Avalie este Artigo
2.8

 

Nessa viagem que fiz, através do tempo, e de autores os mais variados, tentei montar um quebra cabeças, para me encontrar no tempo.

Estamos no tempo do homem, superamos o tempo da máquina (ou não ?). Encontramos setas, voltadas para as questões sensíveis da humanidade, em quase tudo que lemos, vemos, que percebemos.

Chego a conclusão então que estamos no tempo da arte, e finalmente, que nós artistas, fazemos parte de um privilegiado grupo, a nossa profissão é a profissão do futuro !

Me arrisco a dizer que o mundo inteiro ao poucos, se curva a esta realidade.

Empresários, professores, psicólogos, profissionais de todos os setores de nossa economia, buscam cada vez mais proximidade com a arte, por perceberem que estamos no momento mais interativo de todos os tempos, e quanto mais humanas e sensíveis forem nossa relações, maior as nossas chances de sucesso. “O sucesso é ser feliz”, diz Roberto Shinyashiki, num livro que mostra de forma prática e objetiva, coisas que nós artistas falamos através de nosso trabalho.

Por conta, de equívocos, sobre razão e evolução o homem se encaminhou lamentavelmente para o desencantamento do mundo. Porém, agora os sinais são claros, são as luzes do terceiro milenio e a arte humana e até divinamente como carro chefe, nos fazendo deslumbrar, "um admirável mundo novo” agora mais condizente com nossas potencialidades, com nossa natural divindade.

São os novos paradigmas que, mais que se formar, se confirmam.

Sobreviventes que somos de preconceitos cruéis, herdamos a essência dessa inevitável resistência ao desencantamento, carregamos nas veias a inquietude humana, a busca incessante do transcender, é a vida pulsando através do nosso ofício.

Então amigos, benvindo ao terceiro milênio, onde as expressões serão, ou já são, muito mais sinestésicas, e na verdade também, todos os sentidos terão que ser aguçados.

Não podemos mais ver sem enxergar.

Ouvir sem escutar.

Falar sem se comunicar.

É o homem olístico, é o aprofundamento da consciência, não façamos mais nada ao acaso ou sem querer, ao contrário, tomemos posse da nossa vida, nos apropriemos do conhecimento, convertendo ciência em consciência.


Artigo criado por: Caetano Miranda

Avalie este Artigo

Deixe seu comentário

Avalie este Artigo

Comentários

  • Seja o primeiro a comentar

Orçamento Expresso

Solicite Orçamento para 39536 anunciantes com um só pedido

Clique aqui para solicitar
CasamentosFestas InfantisFormaturasEventos Empresariais

Aguarde...