Artigo oferecido por:

Brincadeira e movimento Elementos essenciais para

Publicado em 28/08/2009

Avalie este Artigo
3.7

O mundo da criança é o mundo da brincadeira e do movimento. No cotidiano de crianças pequenas, observa-se que não existe nada mais satisfatório para elas do que correr, brincar, pular e subir nos objetos. Elas sempre estão em movimento, nunca perdem a oportunidade de brincar, de se equilibrar sobre a beira da calçada, de pular de uma escada ou atravessar uma vala.

O que para nós parece uma brincadeira simples e inútil, significa para elas um estímulo fundamental para seu desenvolvimento e sua aprendizagem.

Crianças atuam e pensam em movimento, expressam seus sentimentos em movimento e às vezes dá até para saber o que estão pretendendo pela postura que adotam.

O desenvolvimento da criança é um processo global, no qual o movimento desempenha um papel primordial. Através do movimento ela conhece a si mesma e a seu corpo, seu meio ambiente e seu próximo. A criança explora seu mundo através do movimento.

O termo “psicomotricidade“ indica a conexão estreita do corpo-motor com o intelectual-psíquico. Não existe nenhum movimento sem participação de processos psíquicos ou emocionais. O ser humano só pode ser entendido como um todo; sentir e pensar, perceber e movimentar-se, estão ligados inseparavelmente e influenciam-se mutuamente.

 

Das experiências corporais até a comparação de força -

Finalidade do movimento das crianças

 

Movimento significa, por exemplo:

  • Conhecer o próprio corpo e com isso conhecer-se a si mesmo, revelar uma imagem de si mesmo, adaptar-se às próprias capacidades corporais e aprender a usá-las;
  • Interagir com os outros, comunicar-se e entender-se com eles, criar regras entre si, adaptar-se, brincar com os outros e contra eles;
  • Fazer algo, produzir, ser ativo e conseguir algo através do próprio esforço;
  • Expressar-se, transformar necessidades e sentimentos em movimento, descobrir através do movimento a sensação de fadiga ou energia;
  • Conhecer o ambiente espacial e material, reconhecê-lo, explorá-lo, adivinhá-lo, experimentar com situações de brincar e testar objetos, adaptar as realidades ambientais aos objetos respectivamente, ou seja, acomodá-los;
  • Comparar-se e igualar-se aos outros, melhorar o próprio desempenho, competir e aperfeiçoar-se, aceitar limites, derrotas e alcançar vitórias.

 

 


A brincadeira no contexto atual – é coisa séria

 

Podemos observar que as crianças e os jovens de hoje estão ficando cada vez mais nervosos, estressados, desconcentrados, agressivos e com problemas de socialização. Possibilidades naturais e cotidianas para diminuir a tensão tornam-se cada vez mais raras, pois as crianças já não podem brincar livres pela rua, subir em árvores, pular muros. Elas vivem cada vez mais restrições quanto à possibilidade de convivência harmônica, livre e lúdica com seus próprios corpos, com seus amigos e com a natureza.

Inclusive nota-se que as escolas, que deveriam estar mais voltadas ao crescimento integral da criança como ser humano, estão muitas vezes voltadas unicamente a transmitir conteúdos às crianças, sem que elas possuam o devido amadurecimento psico-cognitivo. Tanto pais como educadores incentivam as crianças a serem competitivas para a universidade e o mercado de trabalho. O espírito de cooperação, lealdade, ética e solidariedade, que são cada vez mais necessários, ficam cada vez mais raros.

O mundo da comunicação em massa transmite constantemente mensagens que ficam gravadas na mente das crianças e dos jovens como slogans a serem seguidos, tipo a ‘dança da garrafinha’, ‘créu’ e outros que nem vale lembrar. Mensagens construtivas e cooperativas às vezes ficam restritas ao âmbito da religião.

Temas como ‘psicomotricidade’, ‘inteligência emocional’, ‘relacionamento interpessoal’ chamam a atenção para a necessidade de um desenvolvimento além do meramente intelectual, mas tornam-se modismos sem que venham a ser compreendidos ou efetivamente incorporados nas ações educativas.

Cabe, portanto, aos pais e educadores preocupados com o bom desenvolvimento de seus filhos e alunos, a tarefa de buscarem oportunidades de conhecer e oferecer brincadeiras, jogos recreativos e de cooperação, dinâmicas de grupos, músicas e atividades diversas para desenvolver a personalidade das crianças e dos jovens, estimulando sua atenção e concentração, socialização e aprendizagem integral.

 

Thomas Semrau e Ligia Alves dos Santos

Sócio-diretores da vivAção Ltda.

 

(fonte: Renate Zimmer - Bewegung, Sport und Spiel mit Kindern, Alemanha;

trad.: Movimento, esporte e brincadeiras com crianças)

 

 


Artigo criado por: vivaçao Ltda. aventura, atividades, arte, animação

Avalie este Artigo

Deixe seu comentário

Avalie este Artigo

Comentários

  • Seja o primeiro a comentar

Orçamento Expresso

Solicite Orçamento para 39009 anunciantes com um só pedido

Clique aqui para solicitar
CasamentosFestas InfantisFormaturasEventos Empresariais

 

© 2007 - 2017 Organizando Eventos Todos os direitos reservados

Desenvolvido por anverso.net.br

Aguarde...